Total de visualizações de página

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Avaliação médica obrigatória para caminhoneiros é aprovada

Será que vai dar funcionar? Necessário é, por isso a Lei foi aprovada, mas infelizmente estamos em um país que as Leis, na maioria das vezes, são feitas para serem desrespeitadas ou para favorecer um determinado grupo. Será que realmente estão preocupados com a saúde dos profissionais de estrada? Será que teremos mais um custo obrigatório? Confira a postagem e deixe aí sua opinião.


No último dia 30, a Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público aprovou o Projeto de Lei 4.365/16, do Senado, que torna obrigatória uma avaliação médica anual para motoristas profissionais do transporte autônomo de cargas.

O texto do projeto lembra que os caminhoneiros autônomos estão submetidos a condições desfavoráveis como jornada de trabalho desumana, com carga horária excessiva; estresse psicológico em função de prazos de entrega de mercadorias; precariedade de rodovias; e risco de sofrer roubos e latrocínios.

Costumam ser comuns, entre esses profissionais, problemas de saúde como prevalência aumentada de hipertensão arterial, refluxo gástrico e distúrbios do sono e do aparelho locomotor, entre outros. Segundo o Ministério Publico do Trabalho, o setor de transporte de cargas lidera o ranking de mortes no trabalho.

O projeto, que tem caráter conclusivo, ainda será analisado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ).

Importância da avaliação médica

A proposta muda a Lei 13.103/15. Segundo o texto, os exames periódicos serão realizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS), já que os motoristas autônomos não costumam ter planos de saúde.

O autor da proposta, senador Eduardo Amorim, afirma que os caminhoneiros não são atendidos pela Lei Orgânica da Saúde, que declara ser atribuição do SUS a saúde dos trabalhadores.

Amorim considera que, na prática, geralmente “as empresas têm que providenciar serviços de saúde ocupacional para o atendimento de seus empregados, pois o SUS atua timidamente nessa área”. Com a aprovação da lei, o atendimento do SUS aos caminhoneiros será obrigatório.

De acordo com a proposta, a avaliação médica periódica dos motoristas, por meio de programa de saúde conduzido pelo SUS, trará indiretamente benefícios a toda sociedade brasileira, pois trará mais segurança às estradas e melhorará a qualidade do transporte de cargas no País.

Porém, o texto deixa algumas questões em aberto. Uma vez que as filas para atendimento no SUS são grandes e demandam tempo, o motorista terá de perder um dia de trabalho para realizar a avaliação? Quais são os exames incluídos? Haverá penalidade para o profissional que não realizar a avaliação?


sexta-feira, 11 de maio de 2018

Protestos de motoristas foram destaque nesta semana

Todos os cidadãos podem reivindicar os próprios direitos ou manifestar insatisfação, incluindo os motoristas. Caminhoneiros já foram protagonistas de diversas manifestações ao longo dos anos e nesta semana não foi diferente. Entre segunda e terça-feira, houve protestos de motoristas profissionais em várias rodovias, além de muita repercussão nas redes sociais.


Nessas ocasiões, algumas pessoas se aproveitam para soltar notícias falsas ou fake news sobre o assunto. Por isso, conferir a veracidade das informações é crucial para descobrir se a notícia é verdadeira ou falsa. Afinal, quais dessas manifestações divulgadas aconteceram de fato? Continue lendo e entenda.

Muita gente recebeu mensagens sobre uma manifestação na Dutra, entre domingo e segunda-feira. A informação é verdadeira. A paralisação começou no fim da tarde e a noite do domingo, 6, fechando os dois sentidos da Via Dutra, em Barra Mansa, Sul do Rio de Janeiro.

Imagem: PRF/Divulgação
O ato aconteceu no km 275, na altura da Bocaininha e próximo a um posto de combustíveis. Segundo a NovaDutra, concessionária que administra a rodovia, o protesto foi promovido por um grupo de caminhoneiros por conta do aumento no preço dos combustíveis.

Os manifestantes colocaram pneus nos dois sentidos da estrada e atearam fogo. Ainda de acordo com a empresa, eles deixavam passar somente carros de passeio.

No fim de tarde da segunda-feira, o tráfego foi liberado aos poucos no sentido Rio, que fluía em meia pista. Mesmo assim, ainda eram registrados 6 km de lentidão no trecho. Já o sentido SP, seguia bloqueado, com 4 km de congestionamento. As informações são do G1.

BR 040
Imagem: Reprodução/TV Globo
A BR 040, na região de Congonhas em Minas Gerais, também foi palco de manifestações de caminhoneiros contra o aumento no preço dos combustíveis nesta terça-feira, 8, pela manhã. A pista chegou a ser totalmente fechada no quilômetro 602, mas foi liberada pouco depois das 10h, de acordo com a Polícia Rodoviária Federal.

A Via 040 informou ainda que a interdição foi feita desde a madrugada no km 602, perto do distrito de Pires. Os manifestantes liberavam passagem apenas para veículos de passeio e ônibus. Já pela manhã, as vias, nos dois sentidos, foram totalmente interditadas e o congestionamento atingiu 6 km.

Segundo a Via 040, concessionária responsável pelo trecho, os caminhoneiros pararam no km 602, perto do Bairro Pires. Somente a passagem de ônibus e veículos leves era permitida pelos manifestantes. O Sindicato dos Caminhoneiros de Minas Gerais negou participação no protesto e não soube dizer de quem foi a iniciativa de fechar a pista.

Distrito Federal

Caminhoneiros do Distrito Federal realizaram um protesto contra a alta do combustível, na manhã desta quinta-feira (10/5). Eles pediram a redução no preço do combustível e a revogação de uma resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) que obriga mudanças nas caçambas.

(foto: Renato Souza/CB)
O protesto começou por volta 6h, com os manifestantes saindo em carreata do Colorado. Segundo a Polícia Militar cerca de 40 caminhões participaram do ato. Eles seguiram até o Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha para a realização de uma assembleia. No trecho entre o Colorado e o estádio, eles ocuparam uma faixa da via. 

O trânsito ficou engarrafado na saída Norte até o começo do Eixo Rodoviário. Uma equipe do Batalhão de Trânsito da Polícia Militar do DF acompanhou o trajeto dos caminhoneiros. 

A resolução do Contran determina que um equipamento para levantar as caçambas sejam instalados. De acordo com caminhoneiros, o equipamento custa cerca de R$ 4.500.

Preços insustentáveis

Em relação ao preço do combustível, a principal reivindicação é que seja reduzido o preço do óleo diesel. Walisson André Martins da Silva, de 35 anos, trabalha como caminhoneiro desde a juventude e reclama do aumento de taxas e do valor do combustível. "O preço do óleo diesel e da gasolina estão insustentáveis. O diesel está chegando a R$ 3,50 por litro e a gasolina passa de R$ 4,50. Nós resolvemos protestar. Vamos chamar atenção do Brasil e a população deveria se unir a todos nós", afirma.

Após a assembleia, os caminhoneiros reivindicam ainda o fim de uma taxa cobrada pelo Serviço de Limpeza Urbana (SLU) com relação ao lixo que é transportado.

Fontes: 

terça-feira, 8 de maio de 2018

XVII Madalena Off Road

E no último final de semana rolou mais uma edição do tradicional evento off road na cidade serrana de Santa Maria Madalena.



Sábado pela manhã lá estávamos eu, família,amigos na estrada, rumo a Madalena, cidade super acolhedora que adoro. No entanto, dessa vez o evento foi diferente para mim, pois minha Branquelinha não estava com sapatos apropriados para fazer a trilha e eu, por causa de um lanche, acabei ficando sem carona.🙎



Mas, pulando essa parte, foi tudo de bom como sempre: família, amigos, frio,calor humano e muitos causos e risadas. Veja as fotos.

 

Estou no aguardo para mais eventos! Que eu possa participar e fazer trilha, é claro.👍

quinta-feira, 3 de maio de 2018

6ª Aniversário dosTaralama

E foi com muita lama que os Taralama receberam seus amigos para comemorar mais um aniversário.



Desde o final da manhã do dia 1º de maio, entrando noite adentro, adeptos do off road e representantes de jeep clubes da região foram prestigiar esse evento de confraternização e adrenalina. Confira todos os cliques aqui



O palco da festa foi a pista de obstáculos que o grupo mantém no bairro do Jókei, um verdaeiro parque para diversões off road, aqui bem pertinho de tudo. 



Valeu equipe Taralama! Off  road é exatamente isso: união, parceria, amigos, adrenalina e muita alegria. Que possamos juntos celebrar  muitos outros aniversários. 

terça-feira, 1 de maio de 2018

Acampamento da Família JCC - Quebra Prato

O último o final de semana, graças a Deus, foi repleto de bênçãos, em dois momentos distintos. Iniciamos o sábado (eu e Rosana) em mais momento de formação continuada para Ministro Extraordinário da Distribuição da Sagrada Comunhão (MEDSC). Um momento de aprofundamento e alimentação da fé.


Já no inicio da tarde, junto aos nossos filhos, fomos em encontro da família Jeep Clube de Campos (JCC), que havia saído pela manhã para um acampamento em família.



Depois de uma trilhinha solo, mesmo "atrasados" tivemos a oportunidade de aproveitar de um espaço que sofreu poucas alterações humanas, um verdadeiro pedaço do paraíso que fica bem pertinho.


Em locais como esses, a hora parece não passar. Chegamos lá próximo ao anoitecer, montamos nossas tralhas e fomos estar com todos. Ao cair da noite, nosso presidente (Jefré) nos presenteou com sua voz, e vez por outra a lua nos dava o ar de sua graça. Um sopão e um anguzinho ajudaram aquecer a noite, mas todos foram para cama cedinho.



Além de poder estarmos com nossos amigos, que muitas vezes são mais próximos que parentes, o grande barato desses acampamentos é estarmos em uma área isolada sem contato com o mundo exterior, compartilhando um sopão e um anguzinho  que ajudaram aquecer a noite.  A diversão do dia foi conversar, contar causos, cantar, dormir cedo e apreciar as belezas que o Pai nos deu.


E não foram apenas os "mais velhos" que aproveitaram. Pelo contrário, os nossos filhos e jovens também curtiram muito. E digo mais, acho que seja extremamente necessário proporcionar aos jovens, que ficam conectados quase 24h/dias, momentos como esses, onde a interação é sem igual. Conversas olho no olho, brincadeiras da nossa infância, coletividade, amadurecimento ambiental e social. Ou seja, vale muito apena, em todos os sentidos.


Sem interferência de TVs, celulares (só para fazer fotos), internet, energia (só das baterias dos carros), e mesmo assim MUITO FELIZES. Posso afirmar que todos os presentes adoraram aquele momento e o privilégio de poder vivenciar tudo isso.



Ao raiar do sol, logo estávamos de pé, pois é quase impossível dormir em uma barraca aquecida pelo sol e sem ventilador. Sem contar, que acordando cedo podemos aproveitar mais o dia e socializar. Depois do café, desmontamos as barracas e descemos até a beira do rio, onde preparemos aquele churrasco.



Por volta das 14h, recolhemos tudo, inclusive o lixo produzido, e retornamos a "civilização", com a certeza de Deus é maravilho e que somos privilegiados por poder viver tudo isso, junto com pessoas que têm uma visão como a nossa. (Confira mais cliques).


Para fechar o dia, de forma ainda mais brilhante, fomos a casa do Pai agradecê-lo.